Bem-estar Simplesmente

Publicado em 18/03/2019 | por Rafael Machado e Carol Minganti

0

Meditação: equilíbrio entre corpo e alma

 

É mensurável a dinâmica com que as inúmeras e profundas mudanças tecnológicas, industriais e cientificas ocorridas nos últimos dois séculos promoveram na vida das pessoas. E mais do que isso, com uma sensação de velocidade indescritível. Por exemplo, em meados de 1900 a taxa de mortalidade infantil era de aproximadamente 15% a 20% nos EUA e diminuiu para 1% por volta do século XX. Tal melhora nos índices se deu certamente pelos avanços citados acima, onde as novas descobertas inseridas no cotidiano das pessoas trouxeram a humanidade para um novo patamar de saúde, longevidade, permitindo o crescimento populacional de maneira exponencial. Nesta mesma linha de pensamento evolutivo, o aumento da população impôs outra rápida mudança no estilo de vida. As cidades se desenvolveram, criaram-se novas necessidades, as horas de trabalho aumentaram, mudou-se a maneira de viver e de se relacionar com tudo aquilo que envolve o ambiente.

Talvez de uma forma onde o ritmo biológico equilibrado não pudesse acompanhar com a mesma velocidade, gerando o que chamamos de estresse. Podemos traduzir biologicamente o termo estresse como a incapacidade mental, emocional e física do organismo de harmonizar-se com as demandas impostas dentro do espaço-tempo necessário para seu funcionamento adequado. Assim, se é verdade que tamanha evolução trouxe inúmeros benefícios, o estresse gerado para se adaptar ao ritmo de vida promoveu o desenvolvimento precoce de doenças crônicas tais como hipertensão arterial, obesidade, diabetes tipo 2, diferentes tipos de câncer, dentre outras.

É fato e também explorado largamente nos tempos atuais, que uma das maneiras de equilibrar o organismo em decorrência das demandas é a prática diária de atividade física. A vida moderna diminuiu grandemente o nosso gasto calórico e encolheu práticas ancestrais como caminhar quilômetros por dia, correr e trepar em árvores, além de introduzir hábitos alimentares menos saudáveis, já que a facilidade em consumir alimentos altamente industrializados e processados é cada vez maior.

No entanto, ainda que a prática de atividade física se torne frequente e o cuidado relativo com a alimentação uma preocupação, ainda assim precisamos de ferramentas para lidar a nível mental e emocional com o elevado e persistente nível de estresse. Isso é necessário pois durante todo o dia geramos, recebemos e processamos um número incontável e cada vez maior de informações. Por sua vez, o organismo ajusta seu funcionamento autonômico de forma intensa e acelerada, como se estivéssemos num constante estado de luta ou fuga. Isso resulta numa espécie de sobrecarga no sistema nervoso autônomo simpático. Precisamos diariamente equilibrar esse estado acelerado, ou seja, diminuir toda essa adrenalina que circula pelo corpo. Para isso, além das práticas de atividade física e alimentação adequada, é importante que sejamos capazes de incluir uma prática meditativa ao nosso dia a dia.

A meditação equilibra o funcionamento do sistema nervoso autônomo simpático e parassimpático. Muitas pessoas dizem que não dispõem de tempo ou que não tem perfil para isso, mas na verdade é que bastam alguns minutos de concentração, dos quais todos nós somos capazes de encontrar! Experimente sentar-se tranquilamente, com a coluna ereta, usar a respiração como foco de toda a sua atenção, não deixando que os pensamentos se fixem ao passado ou ao futuro, concentre-se apenas no momento presente. Se para algumas pessoas focar apenas na respiração é desafiador, pode-se então usar a repetição de uma sílaba, som ou frase ou ainda trazer alguns movimentos corporais no intuito de “chamar a atenção do sistema de percepção”. Lembre-se que para toda prática é a repetição que promove a melhora dos resultados. Assim, o resultado da meditação não é imediato, ou seja, ele não ocorre durante a execução, mas ao longo do tempo nas na melhora das relações interpessoais, clareza e resolutividade nas tomadas de decisões.

Hoje pesquisas recentes têm mostrado que a prática meditativa melhora alguns exames de rotina, como hemograma e principalmente os exames indicativos de elevados níveis de estresse. Isso indica uma melhor condição biológica para lidar com aqueles desafios da vida moderna que podem abrir portas para a manifestação de doenças crônicas.

A prática de se permitir encontrar consigo mesmo de 15 a 20 minutos por dia pode tornar-se tão poderoso na sua vida, pois abre um espaço na mente, que ajuda a observar os desafios da vida prática com mais percepção e clareza, criando assim uma plataforma para maior resolutividade, assertividade e sobretudo, alinhamento e equilíbrio para esse constante estado de ataque ou fuga. Promova saúde na sua vida!

Tags: , , , , ,


Sobre o autor

Proprietários do Kaya Movimento Saúde! (em Paulínia) e fisioterapeutas, o casal tem ainda mais em comum: são apaixonados pelo movimento e pelas leis do Universo. Realizam com a mesma paixão todas as atividades de seu espaço, promovendo bem-estar em busca da integração entre corpo e mente.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Topo ↑