Planeta paisagismo_post-01

Publicado em 03/10/2014 | por Vanessa Ieno

0

Horta em casa

Quem não gosta de utilizar verduras, ervas e temperos frescos, recém-colhidos, na hora de cozinhar? Este privilégio não está apenas ao alcance de quem mora na zona rural. Hoje em dia o conceito de hortas domésticas, ou hortas urbanas, está cada vez mais difundido e utilizado nas cidades.

Mas a horta exige manutenção e cuidados diários, portanto a pessoa tem que gostar de cuidar de plantas. Caso você se enquadre nesta cate­goria, o primeiro passo é a escolha do local, que deve ser ensolarado (mínimo de 4 a 5 horas de sol direto por dia), pois as verduras e as ervas precisam de sol direto. Não pode ser um local com ventos muito fortes e constantes, e deve ser longe de algum contaminante tipo fossa, despejo de resíduos, acúmulos de lixo etc.

Se possuir animal em casa, o local precisa ser cercado ou a horta ser suspensa. Deve haver uma fonte de água limpa por perto para facilitar as regas de uma ou duas vezes por dia, dependendo das condições climá­ticas, preferencialmente de manhã bem cedo e no final da tarde.

Nos pequenos espaços, a op­ção é utilizar vasos, jardineiras e bacias. Existem também painéis, blocos de cimento ou cerâmicos próprios para o cultivo em muros e paredes. Dê preferência a utilizar composto orgânico nos canteiros, pois estes possuem grande quantida­de de nutrientes necessários para o bom desenvolvimento das plantas. Caso não seja possível utilizar esse composto, misture partes iguais de terra, areia e húmus de minhoca.

Os canteiros devem ser limpos de pedras, galhos e torrões e podem, ou não, ser cercados com madeiras, dormentes, tijolos, materiais reci­clados, entre outros. E uma boa drenagem evita o acúmulo de água.

As plantas invasoras precisam ser retiradas com frequência, pois estas irão competir com as verduras em relação aos nutrientes e incidência de sol. Para o controle de pragas e doenças é aconselhável o uso de produtos naturais, tais como calda de fumo, calda de sabão e óleo de neem, para os pulgões e cochonilhas.

No controle das lagartas, deve-se proceder à catação manual para depois matá-las. Uma vez por mês deve-se fazer uma adubação com húmus de minhoca ou outros produtos naturais disponíveis no mercado. As mudas podem ser ad­quiridas em casas agropecuárias ou produzidas no próprio local através de sementes.

* Esse texto saiu em nossa 10ª edição e foi escrita em parceria com o biólogo e paisagista Carlos Meyer

Tags: , , , , , , ,


Sobre o autor

Empresária, editora e psicóloga (tudo junto e misturado). Apaixonada por cachorros e bichos, crianças, livros, viagens, filmes, séries de TV, queijos, suco de uva, sorvete de jabuticaba e pelo maridão (tudo junto ao mesmo tempo agora). Pretende viver 120 anos para realizar cada item que consta em sua (imensa) lista de desejos.


Voltar para o Topo ↑