Cultura Curta

Publicado em 09/12/2016 | por Krishna Shinno

0

Gostinho Brasileiro

Queridos, não podemos deixar de apreciar nosso cinema brasileiro e conhecê-lo a fundo. Desde que Affonso Segretto, um imigrante italiano filmou pela primeira vez cenas do Rio de Janeiro em 1898, o gosto pela arte abriu lentes como as de Luiz de Barros, em 1929, no primeiro filme sonoro e de comédia no pais. Nossa terra foi pegando gosto pela sétima arte e pessoas como Wallace Downey, Mario Peixoto, Humberto Mauro, Lima Barreto, Anselmo Duarte, Rogério Sganzerla, Gláuber Rocha, Norma Bengell, Tizuka Yamasaki, Suzana Amaral, Arnaldo Jabor, Bruno Barreto, Hector Babenco, Walter Salles, Eduardo Coutinho, Andrucha Waddington, Fernando Meirelles, José Padilha, Anna Muylaert, entre tantos outros, colaboraram para a nossa bela historia cinematográfica. Enfim, ficaram na memória os filmes de Mazzaropi e a pornochanchada típica brasileira, mas o cinema brasileiro evoluiu bastante ao ponto de concorrer a prêmios em diversas categorias.

mundocao-01Para começar não é nada fácil viver em um Mundo Cão! Santana (Babu Santana) e Ramiro (Paulo Serra), funcionários do Departamento de Combate às Zoonoses, prendem um Rottweiler que aterrorizava uma escolinha. As normas da época (lei sancionada antes de 2016) permitiam a eutanásia  do animal caso não fosse procurado pelo dono após três dias. Só não contavam que o cãozinho era propriedade do ex-policial corrupto Nenê (Lázaro Ramos), que não consegue a tempo livrar o seu bichinho de estimação. O homem literalmente vira um cão e ameaça o pobre do Santana jurando vingança. Se a vida “tava boa”, a do pobre funcionário vira de cabeça para baixo quando o seu filho João (Vini Carvalho) é sequestrado e a sua esposa Dilza (Adriana Esteves) entra em desespero, fora a preocupação com a sua filha deficiente auditiva e vocal, Isaura (Thainá Duarte). O menino é devolvido, mas Santana descobre que Nenê foi o responsável pelo sequestro e não deixa isso barato. Acumulando todos os problemas que enfrentou, o mesmo decide pela vingança e sua vida de homem bom e trabalhador toma um rumo diferente. Sigam em frente e descubram o que um pai de família honesto fará para viver neste mundo cão.

Direção de Marco Jorge e produção de Cláudia da Natividade e Iafa  Britz, o filme de 2016 ganhou o prêmio do público do 18º Festival de Cinema Brasileiro de Paris. O evento, realizado todo ano em Paris, tem por finalidade divulgar a produção de filmes brasileiros na Europa. Lázaro Ramos, que já  tem uma lista de ótimos filmes, e Babu Santana, que interpretou Tim Maia, não tem o que falar, ambos  impecáveis em seus personagens. Assistam e confiram que mundo é esse.

Nem sempre De Onde Eu Te Vejo as coisas são do jeito que esperamos, mas para Ana Lúcia (Denise Fraga) a distância entre ela e Fábio (o saudoso Dominngos Montagner) se resume em apenas a janela de frente para a sua. Após vinte anos vivendo juntos, eles decidem se separar e morar em casas diferentes, mas não tão longe um do outro. A questão é: isso é possível? Veremos, pois como todo final teve um começo, contaremos com algumas partes narradas pela própria Ana com as suas suas manias e superstições, enquanto Fábio, por um lado, parece que não consegue se desvincular e viver a nova vida. Ambos seguem as suas rotinas e como parceria seus conflitos, o que inclui o desemprego do Fábio, as  frustrações de Ana profissionalmente e a ida de sua única filha, a sensata Manuela (Manoela Aliperti), para Botucatu a fim de estudar botânica, deixando o ninho vazio. O engraçado desse dilema da separação é que o universo conspira de uma forma bem sútil nas entrelinhas da rotina separada do casal. Principalmente quando Ana vai procurar imóveis antigos ou abandonados para demolição, e nesses momentos o destino vai mostrando alguma coisa que precisa ser resolvida. Usando São Paulo como cenário, é bonito contar os lugares que foram importantes na história do casal e que hoje já não existem ou estão abandonados, dando impressão de uma analogia à situação atual do casal. É um filme suave com toques de humor e reflexões. Prestem bem atenção quando Ana encontra com Afonso (Juca de Oliveira), o responsável pelo cine Marabá e a senhorinha Yolanda (Laura Cardoso), é de uma delicadeza como a sabedoria dos mais velhos fazem a diferença. Ah, o papel do Fábio como pai e ex-marido é inesquecível. deondetevejo-01

Direção de Luiz Villaça que também é casado com a  atriz Denise Fraga. Responsável por Três Terezas e Vizinhos, no canal GNT, Luiz optou por um lado comédia romântica sem apelar pela mesmice. É um filme gostoso de assistir, uma boa reflexão para casais, fora a fotografia da cidade de São Paulo. Obviamente umas das lembranças deixadas pelo grande, competente e completo ator Domingos Montagner, além de outras como Através das SombrasUm Namorado para minha Mulher e inúmeras obras da dramaturgia. Sentiremos saudades!

Para quem ama MMA, Mais Forte que o Mundo só poderia ser o José Aldo (José Loreto – capa da a3 Ed.30). Essa incrível história mostra a trajetória do lutador de família humilde e recheado de conflitos. Para começar, Junior como é chamado, precisa digerir e lidar constantemente com os problemas de embriaguez e violência de seu pai José (Jackson Antunes). Cansado de ver a mãe Rocilene (Cláudia Ohana) sofrer agressões, Junior acaba acumulando uma energia e ainda sofre as interferências de Fernandinho (Rômulo Arantes Neto) e seu romance com Luiza (Paloma Bernadi) desmorona. Esgotado de seus problemas, Junior deixa Manaus e parte para o Rio de Janeiro contando com a ajuda do amigo Marcos Loro (Rafinha Bastos), que o espera na academia do treinador Dedé Pederneiras (Milhen Cortaz).  O começo não é nada fácil, mas o sonho de treinar na academia não é descartado. Só que o destino sempre reserva algo e um novo relacionamento com Vivi (Cléo Pires) muda aos poucos a vida do então José Aldo. Após presenciar um briga no bar, Dedé decide dar uma oportunidade para o rapaz e fica intrigado de onde vem tanta força. Bom, vocês podem imaginar o que vem por ai. Mesmo sua vida começando a tomar um rumo melhor, José precisa eliminar seu maior adversário, ele mesmo.

maisfortequeomundo-01Dirigido por Afonso Poyart, o mesmo que 2 Coelhos e Presságio de um Crime, Afonso foi convidado por Sandi Adamiu, um dos diretores e acionista da Paris Filmes, para desenvolver um projeto envolvendo lutas do MMA. Interessado pela trajetória sobre a vida de José Aldo, mergulhou de cabeça nessa história dramática de superação. José Aldo lutou 27 lutas e venceu 25, sendo que a última perdeu o cinturão para o Irlandês Conor McGregor. No dia 27 de Novembro de 2016, o UFC confirmou a destituição do multicampeão Conor McGregor que vagava o Cinturão Peso Pena. José Aldo, então, tornou-se campeão linear da categoria pela segunda vez após ter vencido Frankie Edgar pelo cinturão interino em Julho. Para quem gosta da modalidade, é um filme em que o protagonista vive os dois lados, enfrentar o seus traumas e os lutadores no  Octógono.

Por tantas situações que o nosso país está enfrentando, é bom saber que o nosso cinema está evoluído e tomando outra dimensão. Antes eram poucas opções em cartaz, mas hoje podemos ir ao cinema e encontrar salas somente de filmes nacionais. Lembramos desde Macunaíma, O Pagador de Promessas, Pixote, Central do Brasil, O Quatrilho, O Assalto ao Banco Central, O que é Isso Companheiro?, Bicho de Sete Cabeças, Cidade de Deus, Tropa de Elite, O Auto da Compadecida, Abril Despedaçado, Lavoura Arcaica, 2 Filhos de Francisco, Que horas Ela Volta? e uma infinidade de excelentes filmes inesquecíveis. Além desses, temos ainda O Pequeno Segredo, da família Schurmann, O Filho Eterno, que trata da síndrome de Down, João, sobre a vida do Maestro João Carlos Martins, Aquarius com Sônia Braga, a nossa eterna Gabriela Cravo e Canela e o Beijo da Mulher Aranha, e o tão esperado Vendedor de Sonhos. Em breve no Curta com Pipoca, essas emoções temperadas com nosso jeitinho brasileiro.  Bom final de semana e fiquem em paz!!

Tags: , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o autor

Decidida a mudar após anos na área financeira e administrativa. Adora viagens, missões humanitárias, gastronomia, arte, música, histórias que aquecem o coração, literatura, natureza, bichinhos, um bom papo, Calpis e dias perfeitos para assistir filmes ao lado do maridão. Sonha com um mundo totalmente orgânico e a paz mundial. Gratidão imensa por Deus.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Topo ↑