Cultura curta_Com_Pipoca

Publicado em 31/05/2018 | por Krishna Shinno

0

As boas maneiras

Quem nunca ouviu aquelas histórias sobre o nosso folclore brasileiro? São bem curiosas, não são? O Curta com Pipoca teve a honra de participar da cabine de imprensa do filme As Boas Maneiras, que traz uma narrativa bem diferente dos contos de lua cheia que costumamos ouvir.

O filme conta uma fábula de horror e fantasia que parte do envolvimento de duas mulheres de mundos opostos. Clara (Isabél Zuaa) é uma enfermeira solitária e de pouca conversa que mora na periferia de São Paulo e logo é contratada para ser a babá do filho que Ana (Marjorie Estiano) está esperando. Uma noite de lua cheia provoca uma inesperada mudança de planos e Clara assume a maternidade de uma criança diferente das outras.

Direção e Roteiro de Juliana Rojas e Marco Dutra. No Festival do Rio 2017 ,  o filme ganhou  o Prêmio Felix  de melhor longa de ficção,  Prêmio Fipresci de melhor filme de evento, melhor fotografia, melhor atriz coadjuvante para Marjorie Estiano e melhor longa-metragem de ficção pelo Júri Oficial. O filme é longo e se divide em duas partes.  A falta de expressão de Clara dá um certo desconforto no início da trama. Ela parece ser muito distante de sentimentos e palavras. Na medida em que a história vai desenrolando, percebemos que essa característica é bem peculiar da personagem e que a discrição é o principal ponto quando as situações mais bizarras começam a acontecer. 

Ana esconde algo do passado e não conta com a ajuda nem dos parentes, o que faz de Clara a pessoa mais próxima. Como toda mulher grávida, Ana tem desejos, mas o que intriga Clara não é comum. Ela passa a monitorar os passos de Ana – que adquire um sonambulismo durante a lua cheia. Por mais estranho que seja, a babá acaba se envolvendo cada vez mais com a mãe. Mas o desfecho não é nada bom e começa uma nova etapa na vida de Clara. Alguns anos depois Clara é mais como uma guardiã para Joel (Miguel Lobo), do que uma mãe. Ela precisa ter cuidados e muita cautela, impedindo-a de levar uma vida normal. Joel não é uma criança comum, apesar de frequentar a escola, e com tempo ele passa a questionar sobre seu nascimento. Mas não é somente isso que preocupa Clara, certos acontecimentos acabam chamando a atenção de Dona Amélia (Cida Moreira), a vizinha. Até quando Clara vai conseguir guardar esse mistério? Ela praticamente é refém dessa escolha do passado e agora precisa correr contra o tempo e todos os dias de lua cheia. asboasmaneiras-01

O filme tem uma proposta bem diferente com um emaranhado de coisas onde o folclore vem de forma contemporânea, recheado de terror, humor, amor e lua cheia. Marjorie Estiano, como sempre, incorpora muito bem a sua personagem. Tem quem gostou da primeira parte  e também os que gostaram da segunda. Eu particularmente gostei da primeira, mas no geral o filme me surpreendeu. Eu sei também que  o nome do filme é estranho para contos de horror, mas aí que está o mistério! O filme estreou dia 7 de junho.

Queridos dessa vez  nossa narrativa foi um mistério envolvendo o nosso folclore com um enredo bem diferente.  Eu realmente gosto de filmes que fazem a sua mente dialogar por dias. O bom do Curta com Pipoca é isso, gosto para todos os cinéfilos e simpatizantes. Uma ótima semana e fiquem em paz!

Tags: , , , , , , , , , , , , ,


Sobre o autor

Aprecia tudo que esteja culturalmente agregado às emoções, e o cinema faz parte do universo encantador que a transporta para sonhos até transformá-los em história. Compartilha as suas experiências cinéfilas, acompanhada de uma boa dose de reflexão. A Cultura tem essência.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Topo ↑