Comportamento coach comigo logo-01

Publicado em 24/04/2017 | por Vanessa Cosentino

0

Afinal ser multitarefas é bom ou ruim?

Esse assunto geralmente levanta polêmica. Quem é multitarefas sente-se muito mais produtivo do que uma pessoa que se concentra em fazer uma tarefa por vez. A sensação de estar aproveitando melhor o tempo, começando e dando continuidade a várias atividades, parece ser bem maior do que ficar focado em algo do começo ao fim. Eu mesma já fui multitarefas em boa parte da minha carreira e sempre tive muito orgulho de conseguir falar ao telefone e ainda assim responder às perguntas de um colega de sala, só para citar um exemplo.

Porém, estudos recentes vêm sendo taxativos: ser multitarefas faz mal para sua saúde e diminui a sua produtividade. Em um artigo no site fortune.com, Earl Miller, um professor de neurociência do Instituto de Aprendizado e Memória no MIT pontua razões para evitarmos esse comportamento e nos concentrarmos em uma tarefa por vez. Seu conselho é bem prático: não seja multitarefas, isso acaba com sua produtividade, aumenta a chance de cometer erros e diminui o pensamento criativo.

coaching

Quando você muda de uma tarefa para a outra, seu cérebro precisa gastar muita energia para focar novamente no que estava fazendo e corrigir possíveis erros. Isso não só demanda mais tempo, como também dificulta o pensamento criativo. Já que este resulta de um estado de grande concentração e uma habilidade de seguir as ideias por uma rede de novos caminhos. Quando você é multitarefas seu cérebro não consegue ir muito longe e fica o tempo todo iniciando e recomeçando o raciocínio.

Mesmo aquelas pessoas que pensam que são boas em fazer várias coisas ao mesmo tempo estão enganadas. Seu cérebro lhes prega uma peça. Ele os convence de que ser multitarefas é melhor, pois ignora a maior incidência de erros e não contabiliza o seu sentimento de exaustão ao fim do dia. Ser multitarefas é como riscar um fósforo todo dia. Aquele fogo o consome com muita intensidade e muito rapidamente. Logo, você não terá mais fósforos em sua caixinha para queimar.

E o que fazer?

  1. Conheça-se

Mapeie aquilo que você já sabe que tira a sua atenção, como visitar determinados sites, redes sociais ou aplicativos e evite-os o máximo possível. Identifique em quanto tempo você sente-se cansado. E, por fim, saiba o que te deixa concentrado. Algumas pessoas relatam que ouvir determinado tipo de música ajuda a manter o foco. Teste-se!

  1. Faça pausas, se possível, com algum tipo de exercício físico

É muito mais efetivo dedicar-se de forma concentrada durante 25 minutos e fazer uma pequena pausa de 5 minutos do que passar 2 horas pulando de uma atividade para a outra. Durante a pausa, vá buscar um café ou suba e desça 1 lance de escadas. Isso irá oxigenar seu cérebro e ajudar na concentração. Você não precisa se movimentar em todas as pausas, estabeleça um cronograma no qual a cada 2 horas, 1 das pausas será com exercício. Aqui vale o seu autoconhecimento e as regras da empresa na qual trabalha.

  1. Treine sua mente

Concentração é algo que você pode desenvolver. Seja com exercícios mentais ou prática de meditação.

  1. Modifique o seu ambiente

Em um escritório, é difícil conter as interrupções, porém, você pode tentar colocar fones de ouvido para sinalizar que não quer ser interrompido ou fechar-se em uma sala de reuniões para concluir uma tarefa que precisa de isolamento total. De novo, use o bom senso, sem infringir as regras da empresa ou parecer antipático. Se for preciso, explique que você necessita de 1 hora concentrado para concluir uma tarefa complexa.

Se estiver em home office, afaste-se de tudo que possa tirar a sua atenção, como a TV e os games. E mantenha uma rotina fixa com os horários em que você deve fazer as pausas tanto para descansar como para as refeições e lanches. Nada de ficar assaltando a geladeira o dia todo. Isso vai matar a sua concentração e a sua dieta.

  1. Discipline-se para lidar com redes sociais, aplicativos de comunicação e emails

Eles são os grandes vilões da concentração. Se seu trabalho não depende desse trio, discipline-se a consultá-los a cada 1 ou 2 horas, por exemplo. E não fique olhando a cada 2 minutos.

  1. Tenha um objetivo para o seu dia

Antes de chegar ao trabalho, liste de 1 a 3 tarefas que precisam ser feitas para que seu dia seja produtivo. E toda a vez que você se distrair, lembre-se do objetivo do dia. Coloque lembretes visíveis com frases do tipo: “Foco, concentre-se!”

    7. Pratique exercícios

Essa dica vale para qualquer coisa. Um corpo saudável abriga uma mente saudável.

  1. Controle a ansiedade

Evite a extrema racionalização que é quando a pessoa fica tentando prever diversos tipos de desdobramentos em uma determinada situação. Tenha um plano A e um plano B, mas evite criar conclusões em cima de suposições. Atenha-se ao que é concreto, estabeleça prazos e parta para a ação ao invés de só ficar planejando.

  1. Reconheça o seu esforço e recompense-se

Mudar um hábito é um desafio, por isso, ao fim do dia, reconheça o seu esforço e se recompense fazendo algo com o qual se sinta bem. Por exemplo, se dê de presente 1 hora a mais assistindo a sua série preferida.

  1. Persista

No começo você irá falhar. Isso é fato. Já te aviso para que esteja preparado para persistir. Sempre que você falhar, lembre-se das razões que o levaram a controlar seus hábitos e comece novamente no dia seguinte. E quando você menos esperar, terá implantando um novo e saudável hábito em sua vida.

Sempre acredite que você pode ser sua melhor versão. Eu acredito!

Tags: , , , , , ,


Sobre o autor

Coach de vida pessoal e carreira. Formada pela Sociedade Brasileira de Coaching, vem se dedicando a orientar as pessoas a promoverem transformações positivas em suas vidas. Não vive sem cinema e música. E recarrega as baterias na prática de Yoga.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar para o Topo ↑